18 de agosto de 2019

A Psicanálise não promete um "Jardim de Rosas"

            Félix Elvas Pequeno

     Imagine que você tem uma casa-mental que começa a dar problemas e precisa de reformas ou reconstruídas. Há um mar de tantas outras terapias que farão a reforma da casa-mental. Mas, a psicanálise, é para quem acha que toda casa-mental deve ser destruída e re-erguida desde a base! Sim, acho melhor tentar, aos poucos, desconstruir tudo e re-construir de novo. Tudo o que quero é dar a palavra à pessoa, ao inconsciente, lembram-se: "a Psicanálise é o tratamento pela palavra" (S. Freud). 
     Penso, que os Psicanalistas, éticos, não devem competir com “terapias” com as suas abordagens "terapêuticas" sedutoras, que buscam a eliminação das angústias, dos sintomas. A Psicanálise ao contrário, humildemente, considera que os sintomas e angústias têm um sentido e função, e a pessoa não deve fugir da angústia, pois ao invés de paralisante ela passa a ser o motor da invenção responsável, e é através dela que a pessoa pode crescer emocionalmente. 
      A psicanálise não tem a pretensão de resolver os conflitos humanos num "lava rápido"; é incompetente para deixar as pessoas tranquilas. Ela não promete uma felicidade total. Não considera, inclusive, que haja desenvolvimento pessoal sem sofrimento psíquico! A Psicanálise não é um tratamento milagroso e não promete um “jardim de rosas”...  (Félix Elvas Pequeno é psicólogo e psicanalista ). Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário