25 de janeiro de 2019

Sobre a arrogância.

             Félix Elvas Pequeno

                Muitas vezes nos deparamos com pessoas arrogantes, sem humildade e que apenas pensam em seu próprio umbigo, sem se preocupar com ninguém ao seu redor. Elas imaginam que para terem sucesso na vida, não devem olhar para o lado e oferecer ajuda aos que precisam. Nós nunca somos prejudicados por ajudar outra pessoa, pelo contrário, quanto mais fazemos por aqueles em nossas vidas, mais recebemos coisas pelas quais agradecer. 
                Os arrogantes, sempre que são afetados pelo comportamento de outras pessoas imaginam: “elas são burras” ou “por que não conseguem fazer uma coisa tão simples?” Será que estão projetando sobre os outros alguns de seus aspectos indesejáveis, para que não vejam algo sobre eles mesmos que não querem ver? Penso que sim! Sempre que eles apontam o dedo, cheios de razão, ou sempre que tem certeza de que outra pessoa está aquém do seu potencial, deveriam voltar seus olhos para eles mesmos, mas não fazem isso e, geralmente, costumam aprender a lição de maneiras dolorosas, como na fábula de Esopo abaixo.

O Galo e a Águia
Dois galos estavam disputando em feroz luta, o direito de comandar o galinheiro de uma chácara. Por fim, um põe o outro para correr e é o vencedor.O Galo derrotado afastou-se e foi se recolher num canto sossegado do galinheiro. O vencedor, voando até o alto de um muro, bateu as asas e arrogantemente cantou com toda sua força. Uma Águia que pairava ali perto, escutou o canto do galo, lançou-se sobre ele e com um golpe certeiro levou-o preso em suas poderosas garras. O Galo derrotado saiu do seu canto, e daí em diante reinou com humildade livre do galo arrogante.

Moral da História: A arrogância é o caminho mais curto para a ruína e o infortúnio. Devemos permanecer humildes, mesmo em nossas vitórias,e evitar 'cantar de galo', afinal nunca sabemos o que a vida reserva para nós no próximo minuto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário