29 de novembro de 2018

A Vida Precisa do Vazio

       Félix Elvas Pequeno           

             A lagarta dorme num vazio chamado casulo até se transformar em borboleta. A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida. Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito. É no vazio da jarra que se colocam flores. E as pessoas, para serem belas e amadas, precisam ter um vazio dentro delas. A maioria acha o contrário; pensa que o bom é ser cheio. Essas são as pessoas que se acham cheias de verdades e sabedoria e falam sem parar. São umas chatas! Bonitas são as pessoas que falam pouco e sabem escutar. A essas pessoas é fácil amar. Elas estão cheias de vazio. E é no vazio da distância que vive a saudade.(RUBEM ALVES) 

                     É o vazio que possibilita a pessoa impulsionar-se diante da vida e buscar o encontro consigo mesmo e com o outro. O vazio é causa de desejo, pois provoca-nos estar em constante busca por algo que preencha o que está incompleto. A incompletude do humano, causa de tantos afetos, nos impulsionando a seguir o caminho da nossa existência! Somos todos seres incompletos e que a plena completude nunca virá, pois a falta está marcada, como uma tatuagem em nosso corpo, em nossa vida, em nosso mais íntimo ser. Assim é o ser humano, caminha com o vazio que o coloca diante da busca diária por preenchê-lo, ora uma busca leve; ora uma busca pesada. (Félix Elvas Pequeno é psicólogo e psicanalista). Abraços!

19 de novembro de 2018

A Verdade e as Mentiras


             Félix Elvas Pequeno

 "Amor sem verdade não é mais do que uma paixão; e verdade sem amor não passa de uma crueldade." (W. Bion, psicanalista inglês, morreu na Inglaterra no mês de novembro de 1979 deixando uma obra vastíssima).

Vou tentar escrever abaixo, uma síntese com modificações do extenso texto que a psicóloga e psicanalista Elena Tomasel escreveu, com a intenção de uma provocação ao pensar!

                 W. Bion, psicanalista inglês já falecido, afirmou que a Verdade é um alimento para a mente. A ideia fundamental deste autor é que a Verdade para se tornar alimento da mente, precisa antes de um cozimento, ou seja, a verdade externa é transformada, cozida pelo aparelho mental e com isto tornada pessoal. Um corpo que não recebe alimentos ou os recebe intoxicados, contaminados sofre, desnutre, definha, adoece e pode morrer. E uma mente que não recebe o alimento da verdade ou que o recebe intoxicado? O que acontece com esta mente? Foi na antiga Grécia, por volta do IV século a. C., que surgiu o diálogo socrático. Era na praça pública da antiga pólis que se construíam conhecimentos sobre moral e filosofia por meio do método – a maiêutica - no qual perguntas eram lançadas com o intuito de fazer as pessoas pensarem e descobrirem as respostas que estavam dentro delas mesmas à espera de uma colheita. Perguntar, perguntar e perguntar colocava os cidadãos a pensar e descobrir que eles próprios detinham sabedoria e conhecimento e, que, muitas vezes, nem ao menos sabiam que tinham.
                Este é o modelo de funcionamento mental proposto por Bion através de sua teoria da mente. A busca pela Verdade está implícita neste modelo teórico. Bion afirma que é desta forma que surgem as controvérsias. E é da controvérsia que se forma o broto de onde o conhecimento inicia a produção de seus frutos. Só que a controvérsia para que dê frutos, necessita de confrontações legítimas e genuínas, pois se isto não acontece corre-se o risco de que os argumentos controversos se esgotem e terminem em um bate-boca estéril, inútil entre pessoas com diferentes pontos de vista. É sempre difícil falar em política, eleições e políticos. Porém não temos como nos isentar desse debate. É difícil resistir à tentação de transportar o conhecimento deste modelo teórico de Bion para o que temos assistido nos acontecimentos nacionais: corrupções, Mentiras, ataques, acusações, xingamentos e desrespeitos... O que vocês pensam? ( Félix Elvas Pequeno é psicólogo e psicanalista). Abraços! www.felixpequeno.com.br

"Os pensamentos estão à procura de pensadores"-(Bion). Deixar pensar, isto é, deixando que o pensamento surja. Tanto para Bion como para Haideger é assim: pensamos com gratidão, pensamos porque somos gratos.. Há um pensamento da humanidade, um universo de pensamento e de discurso, com o qual tentamos entrar em comunhão." ( Antonio M. de Rezende- A Metapsicanálise de Bion).

17 de novembro de 2018

OBESIDADE: "lembranças do processo de amamentação".

           Félix Elvas Pequeno
         
                   A obesidade está crescendo assustadoramente.O texto abaixo, é somente uma contribuição para a compreensão das causas psíquicas da obesidade!

                     Muitos obesos tentam emagrecer o corpo fazendo exercícios físicos exaustivos, freqüentando “spa”, malhando freneticamente em academias, se submetendo a diversas dietas rigorosas muitas vezes frustrantes. Vão atrás de soluções externas ( cirurgias) para acabar com a gordura, o que ajuda, mas não resolve definitivamente sua obesidade, pois as causas são psíquicas. Os obesos estão, em sua maioria, inconscientemente, fixados na fase oral do desenvolvimento do “Eu”, onde a boca constitui a principal fonte de prazer, preenchimento, bem estar e relaxamento; eles estão bebês mamando no seio da mãe:"lembranças do processo de amamentação”! A fase oral começa com o nascimento e termina normalmente com o desmame.
                      Tais obesos, geralmente buscam na comida, um substituto inconsciente do seio materno em que mamou. Eles precisam fazer uma “dieta mental”, para então emagrecerem fisicamente. Como? Fazendo análise, onde vai tomar consciência dos aspectos inconscientes que o levam à obesidade e ressignifica-los! Quais aspectos inconscientes seriam esses? Dentre vários, cito: voracidade excessiva (ânsia impetuosa e insaciável, que excede aquilo de que a pessoa necessita), impulsos autodestrutivos, fantasias onipotentes, inveja de si mesmo, repressão das emoções, sentimentos de culpa e busca pelo excesso.
                       O que o obeso não sabe, é que ele está tomado por um apetite muito grande, não de comer, mas sim de viver, de amar e ser amado. Ele é uma pessoa rica de recursos internos, mas não tem consciência deles. Só lhe interessa o mundo quente de calorias elevadas, quem sabe, como substituto de “caloria humana” (afeto quente e caloroso). Esse obeso precisa segurar dentro de si seu bebê voraz, movido pelo impulso de morte que muitas vezes vem “embrulhado em papel de presente” (como comidas deliciosas, gostosas, bonitas, prazerosas, apetitosas, mas sem substâncias nutricionais) que pode provocar uma série de doenças no corpo e até leva-lo à recorrer as drogas, para anestesiar suas angústias, entre elas, o excesso de bebidas alcoólicas:“lembranças do processo de amamentação”, tem até uma expressão: “ele estava mamado”!