30 de março de 2018

A Verdade Nua e Crua

                   

 


                  Félix Elvas Pequeno

                    Há pessoas que são mentirosas, mas se travestem de verdadeiras. Aos olhos de outras pessoas, é costume aceitar as pessoas mentirosas vestida de verdade, do que as pessoas que são verdadeiras nua e cruamente! “A verdade as vezes é quase que insuportável....” Na parábola abaixo você entenderá o que acabo de escrever.

"Diz uma parábola judaica que certo dia a mentira e a verdade se encontraram.
A mentira disse para a verdade:
- Bom dia, dona Verdade.
E a verdade foi conferir se realmente era um bom dia. Olhou para o alto, não viu nuvens de chuva, vários pássaros cantavam e vendo que realmente era um bom dia, respondeu para a mentira:
- Bom dia, dona mentira.
- Está muito calor hoje, disse a mentira.
E a verdade vendo que a mentira falava a verdade, relaxou.
A mentira então convidou a verdade para se banhar no rio. Despiu-se de suas vestes, pulou na água e disse:
-Venha dona Verdade, a água está uma delícia.
E assim que a verdade sem duvidar da mentira tirou suas vestes e mergulhou, a mentira saiu da água e vestiu-se com as roupas da verdade e foi embora.
A verdade por sua vez recusou-se a vestir-se com as vestes da mentira e por não ter do que se envergonhar, saiu nua a caminhar pelas ruas.
E aos olhos de outras pessoas era mais fácil aceitar a mentira vestida de verdade, do que a verdade nua e crua."Abraços!

24 de março de 2018

Do equilíbrio do Desejo

               

                Félix Elvas Pequeno

                  O desejo grita: "eu quero!" A sociedade responde: "não podes!" O desejo procura o prazer, a sociedade proclama a ordem. O viver cultural estabelece regras que não são condizentes com a realização de todos os nossos desejos. Temos que aprender um modo equilibrado de existência, em que é preciso contentar-se com uma satisfação parcial do desejo, muitas vezes adiada, e nem sempre existente. Penso que é necessário sermos senhores, e não escravos dos nossos desejos! O desejo está aí para ser desejado e isso não significa que todos os desejos devam ser realizados.
                  Não precisamos sempre dizer: "vou tomar só uma cervejinha" e não parar mais. Nem comer até passar mal. Não precisamos ser amado, até se deixar sufocar e nem amar até tirar o ar do outro. Não precisamos sempre fazer sexo desenfreado e sem afeto. Não precisamos somente usar o corpo malhado e maquiado, para seduzir e sermos desejados. Nem precisamos trabalhar o tempo todo, nem tirar férias o tempo todo. Não precisamos ser felizes ou tristes o tempo todo. A vida está nas oscilações. Nem toda perda dói, nem toda realidade nos angustia.
                 Assim sendo, nosso desejo nunca poderá ser plenamente satisfeito. Isso não significa que não devemos sequer irmos em busca daquilo que desejamos, pois dizer que o nosso desejo não pode ser plenamente satisfeito, não é o mesmo que dizer que o nosso desejo não pode ser parcialmente satisfeito. Então, que nos satisfaçamos parcialmente! Que sejamos não-todos felizes, mas ainda assim, felizes. Que sejamos não-todos leves, mas ainda assim, leves. "Nem tanto ao céu, nem tanto a terra" com os nossos desejos! 

22 de março de 2018

Sociedade de BEBÊS Gulosos


  

                      Félix Elvas Pequeno· 
 
Estamos numa sociedade do narcisismo, do egoísmo. Cada um só pensa no seu umbigo e os outros que se FERREM! Achamos que podemos ter tudo, engolir tudo, o tempo todo, insaciavelmente e vorazmente como BEBÊS gulosos. Estamos empanturrados e continuamos gritando: ”eu quero, eu quero, eu quero, é pouco, eu quero mais..."
Até quando continuaremos chorando e gritando: “eu quero, eu quero, BEBÊ quer mamar mais leite..." Abraços!

19 de março de 2018

Sobre a Hipocrisia

                   

                  

            


     Félix Elvas Pequeno

                     

                       Há pessoas que tentam corrigir as outras, aquelas cheias de lábia, que tem um discurso pronto, e a língua é venenosa, sabe da vida de todo mundo, é um investigador da vida dos outros, mas não consegue enxergar e investigar a si próprio. A hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, qualidades, virtudes, idéias e sentimentos que a pessoa na verdade não as possui. Em poucas palavras, a hipocrisia é a manifestação fingida de bons sentimentos!! “Quem sabe adular também é capaz dê caluniar”. Características do hipócrita: falsidade, ato ou efeito de fingir, de dissimular os verdadeiros sentimentos, dentre outros. No contexto do comportamento humano, parece-nos que a hipocrisia – nos dias atuais – é uma característica comportamental observada em alguns ou vários momentos nos contextos que fazem parte da vida do ser humano. 

                      Jacques Anatole France, poeta e romancista francês, dizia que “não há castos, mas sim muitos sociopatas, hipócritas, canalhas e perversos”. Penso que, atualmente, a hipocrisia está tão impregnada nas relações humanas, nas instituições, na política que em muitos momentos ela (hipocrisia) é – mesmo quando percebida – consentida e bem recebida pelas pessoas, especialmente as inseguras e com baixa auto-estima ou carência afetiva. Por trás de um grande moralista há um hipócrita perverso!! Abraços!

13 de março de 2018

Suicídio e Psicanálise

                       
                Félix Elvas Pequeno   

                   Viver implica sentir prazer e dor. A ciência médica, hoje em dia, nos propõe alívio para qualquer dor física. Quanto à dor psíquica, aquela angústia inerente às nossas perdas, frustrações, escolhas, imperfeições e limitações, a natureza nos dotou do sono para não termos que enfrentar a realidade o tempo todo, sendo que o sonhar nos ajuda a organizar e dar sentido às experiências prazerosas, enigmáticas ou dolorosas vividas durante o dia. Mesmo acordados não precisamos estar o tempo todo em contato com a realidade, podemos fantasiar, ou seja “sonhar acordado”. O suicídio é um sono sem sonhos do qual não se acorda jamais. Para algumas pessoas o sono e o sonhar são suficientes; outras buscam as opções criadas pela cultura: álcool, drogas, psicofármacos; para 3 mil, diariamente, segundo a Organização Mundial da Saúde, só o suicídio é visto como solução. Por quê? Porque a capacidade para lidar com os afetos dolorosos sem que o Eu se desagregue é extremamente variável entre as pessoas e também na mesma pessoa ao longo da vida.              
                     Cada um comete o ato suicida por razões singulares. Vingança, raiva, autopunição, culpa, desesperança, vergonha, humilhação, inferioridade são estados afetivos comumente narrados pelas pessoas com ideias suicidas, mas sob estes subjazem outros que no momento não estão acessíveis à percepção da pessoa. Esses afetos vão se tornando intoleráveis, as ideias suicidas vão aparecendo, preparações para o ato começam a ser construídas e em determinado momento o controle egóico entra em falência e o ato ocorre. A psicanálise nos ensina que em todo evento psíquico há conflito, há dois lados: no caso do suicida é entre a vontade de matar o corpo e a vontade de sobreviver.       
                   O suicida espera que vá existir um “estado de não sofrimento”, quando na realidade não existirá “estado” nenhum, apenas um puro corpo morto. A lógica do suicida não é a lógica comum, mas para este faz todo o sentido. A pessoa deve ser levada a sério em suas ideias. Quanto antes estas forem identificadas maior é a possibilidade de ajudar a pessoa a se reconciliar com seu lado que quer sobreviver, dando significados que tornem suportáveis a dor de viver nesse mundo que ela quer deixar e, quem sabe, modificar sua convicção suicida. (Síntese feita por Félix, em 11/03/2018 do texto de Sandra Maria Gonçalves-psicanalista, membro associado da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP). Abraços! 

9 de março de 2018

A Felicidade não é para Covardes

                          
Félix Elvas Pequeno    

                     Muitas pessoas costumam postar nas redes sociais fotos belíssimas, simulação de uma vida esplendorosa, justamente para preencher a falta de uma vida perfeita, que não existe! A felicidade não é pra covardes, eles sempre preferem dizer que estão felizes porque fazem aquilo que a sociedade em determinado momento estabelece como sendo felicidade. Penso diferente, a gente inventa a felicidade, e inventar é criar, construir alguma coisa que nos faça feliz. Então a felicidade é para os corajosos porque ela implica em riscos, já que ela é inventada. A felicidade é uma conquista! O contrário, é se ADAPTAR ao que é estabelecido pela sociedade, que é o que o covarde faz! Para o humano se sentir feliz, ele tem que viver uma vida que passe também por dores. Uma pessoa que não quer sofrer de jeito nenhum, cria milhões de artifícios para se afastar do sofrimento, sendo assim ela também não pode se envolver com outros sentimentos intensos como a felicidade. 
                   'Eu acredito na felicidade, não nessa falsa felicidade que muitas vezes nos impõem a sociedade, mas na que vem de dentro, das nossas escolhas, naquela que nos motiva a ir a luta, a enfrentar os obstáculos pela realização de um objetivo, sem ter que pisar ou passar por cima dos sentimentos dos outros.' Ninguém merece ser feliz, com as perspectivas daqueles vendedores de métodos convincente de como alcançar a maior felicidade. Eu desejo que você reflita que a nossa vida, a vida real, tem um vazio imenso que sempre vamos buscar preencher. Mas podemos fazer de uma forma diferente! Não precisamos provar ao outro, e principalmente para seus quase 1000 amigos virtuais no facebook ou 600 seguidores no instagram, que somos capazes de conseguir o emprego dos sonhos, ter um relacionamento invejável, filhos perfeitos, ir a festas incríveis, viagens internacionais. A felicidade está em pequenas atitudes que podem ser realizadas no dia a dia.
                  Não pense que sua vida é pior que a daquele amigo virtual que faz um monte de postagem maquiando uma realidade que não lhe pertence. Isso pode lhe trazer prejuízo emocional! Possivelmente se você trocar as horas que fica nas redes sociais por um bom livro, uma caminhada, um bom filme, escrever textos para os amigos refletirem, jardinagem, trabalhos voluntários, a fim de trocar experiências com pessoas diferentes, será um grande passo para não ficar com baixa autoestima. Lembre-se que as pessoas mostram nas redes sociais o que elas gostariam de ser, e não o que elas realmente sentem ou são. “Para alcançar a felicidade é necessária uma boa dose de invenção, ousadia e coragem, e não se medir pela expectativa do que esperam de você". Abraços!