19 de fevereiro de 2018

Os Livros de Auto-Ajuda Não Funcionam

               

                     
               
                  Félix Elvas Pequeno

             
             Os livros de autoajuda se trata de uma leitura marcada pela ingenuidade, porque quem lê um livro dessa categoria acredita que vai resolver seus problemas quase instantaneamente. As críticas contra a autoajuda baseiam-se no discurso ilusório que alguns títulos podem trazer, aqueles que sustentam a impressão de que existe um alguém – no caso, o autor do livro – capaz de dar receitas sobre como vencer determinados problemas. Esse tipo de livro sustenta o “discurso da certeza”, em que sentenças imperativas parecem apontar soluções certeiras: “faça”, “seja”, “sorria”, “dê”. “Uma das críticas grandes que se faz é uma universalização da vida. É como se dissessem (os autores): ‘o que serviu pra mim, serve pra todo mundo’. Isso é um elemento negativo”. É fundamental alertar para o risco do tratamento exageradamente simples dado a determinadas patologias em alguns livros de autoajuda. “Você tem um texto falando assim: ‘vença a depressão em dois dias”. 
                 Penso que qualquer coisa que der fórmulas de como crescer, como ser feliz, como ter sucesso, dentre outras, é autoajuda. Os livros de auto-ajuda são como um copo de leite para quem tem azia ou úlcera, produz um alívio imediato, mas logo, a dor perfurante volta em dobro. Em dobro porque, agora, você continua não conseguindo resolver nada. E, pior,você agora acha que as coisas são simples, que a vida é simples, que nossos problemas são simples. Pode até ser que a vida seja simples, mas nós não somos!
                   Os autores de auto-ajuda, só ajudam a eles mesmos, é claro, financeiramente! Eles apenas se aproveitam da carência, da ingenuidade de um público sedento por conhecimento e inundam as prateleiras com livros que prometem a felicidade eterna, mas entregam textos ruins, repletos de fórmulas ilusórias para o sucesso. Essa onda de querer ganhar dinheiro vendendo fórmulas prontas para combater a ansiedade,pânico, depressão e afins sem base científica, aumentou muito, na internet. Embora continuem populares, os livros e programas de auto-ajuda tem sofrido críticas por oferecer "respostas fáceis" para problemas pessoais complicados. De acordo com essa visão, o leitor ou participante recebe o equivalente a um placebo enquanto o escritor e o editor recebem os lucros Abraços!

" A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.” -Sigmund Freud.

Nenhum comentário:

Postar um comentário