18 de dezembro de 2017

Cuidado com os "Tratamentos Mágicos e Rápidos"

                 
                Félix Elvas Pequeno

                    Sem hipocrisia, está uma febre de propagandas sobre “tratamentos” para a mente e para o corpo tais como: constelações familiares; numerologia; fazer mapas astrais, leituras de mãos ou de auras, realinhamento de chacras, terapia de vidas passadas, ou outros conhecimentos “mentais” que não estão verificados – de maneira contundente – pelo método científico. Todos prometendo “ensinar” a eliminar problemas e ter uma “saúde", física e mental ótima. Enfim, há no mercado, por preço alto, uma série de propostas sedutoras, maravilhosas, convidando aquelas pessoas mentalmente sofridas a buscarem freneticamente "tratamentos rápidos e mágicos." 
               Tais tratamentos, que estão se proliferando dia-a-dia e na moda, são enganosos e sem referencial cientifico, cujo objetivo é condicionar, programar, doutrinar a mente humana, sendo direcionados à pessoas desesperadas, sugestionáveis, supersticiosas, sensíveis, inseguras e ingênuas, não importando o grau cultural delas. Os coordenadores, facilitadores, "terapeutas ou “professores” desses "tratamentos" são geralmente pessoas muito inteligentes, que usam falas bonitas, tons de voz estudados e impressionam com seus discursos sedutores, muitos deles são psicopatas que ganham dinheiro fácil de pessoas sofridas psiquicamente. 
                Sabe o que vai acontecer se você ficar seguindo instruções desse "sábios e mestres poderosos" citados acima, dentre tantos outros? Você vai perder sua própria identidade e virar um fantoche nas mãos deles. Vai sentir um alívio imediato, mas momentâneo e passageiro. A tomada consciência para seus problemas estão em você mesmo, no seu inconsciente que só podem vir a tona através da psicoterapia psicanalítica. Tudo o que fazemos ou somos hoje tem um sentido ou um significado inconsciente, o que é impossível descobrirmos em "tratamentos mágicos e rápidos". Cada pessoa tem sua história de vida própria e deve ser respeitada a sua singularidade. É uma violência e perversidade condicioná-las ou encaixotá-las nos "tratamentos" citados acima, que vendem a cura do corpo e da mente humana. Não caia nessa! Não dá para fazer “vista grossa” como certos "psicólogos" fazem, sabendo de pessoas sendo, enganadas, iludidas e exploradas financeiramente e psicologicamente por charlatões, inclusive aqueles certos "psicólogos"!!