11 de novembro de 2017

Como o psicanalista, Félix, olha os Transtornos Mentais

                 
                Félix Elvas  Pequeno

              O Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais 5.ª edição ou DSM-5 é um manual diagnóstico e estatístico feito pela Associação Americana de Psiquiatria para definir como é feito o diagnóstico de transtornos mentais. Usado por psicólogos e médicos. Esse manual tem sido uma das bases de diagnósticos de saúde mental mais usados no mundo. Eu,como psicanalista não trato da doença mental, mas sim da pessoa que está sofrida mentalmente! Porque, para mim, TODOS os Transtornos Mentais são sintomas de sofrimentos psíquicos, inconscientes, entre eles a busca frenética pelo excesso e pela completude ( não aceitação da castração)! S. Freud, dizia: "Nós não somos senhor da nossa casa"( inconsciente ), com outras palavras, todos os nossos comportamentos, atitudes, jeitos, sonhos, sintomas, etc, são conduzidos pelo nosso inconsciente. 
            “A ciência não pode calcular quantos cavalos de força existem nos encantos de um sabiá” (Manoel de Barros). Que tal, usar essa frase para dizer que "a ciência, com sua mania calculista, não pode calcular quantos cavalos de força existem na pulsão (impulso)". "Me perdoem os sabichões, mas a psicanálise não é pra qualquer um. Ela é somente pra quem vê poesia nos sintomas, para quem vê arte na dor". Os psicanalistas não prescrevem receitas de remédios que dão o “alívio já”. Os pacientes que estão em análise, são impacientes, intranquilos e inquietos. Imagine que você tem uma casa-mental que começa a dar problemas e precisa de reformas. As terapias focais, cognitivas, comportamentais, dentre um mar de tantas outras terapias, farão a reforma da casa-mental e terão sua "eficácia" garantida e comprovada! Mas, a psicanálise, é para quem acha que toda casa-mental deve ser destruída e re-erguida desde a base! Sim, acho melhor tentar, aos poucos, desconstruir tudo e re-construir de novo. 
                Tudo o que quero é dar a palavra à pessoa, ao inconsciente, a poesia de cada um, lembram-se: "a Psicanálise é o tratamento pela palavra" (S. Freud). Penso, que os Psicanalistas, éticos, não devem competir com os Médicos-Psiquiatras com seus poderosos neurolépticos, antidepressivos, ansiolíticos, dentre tantos outros, que vão aparecendo a cada instante, e nem com os psicólogos com a sua poderosas abordagens "terapêuticas" sedutoras, que buscam o alívio rápido com eliminação das angústias, dos sintomas. 
           A Psicanálise não serve mesmo para todas essas coisas! Ao contrário, humildemente, considera que os sintomas e angústias têm um sentido e função, e o humano não deve fugir da angústia, pois ao invés de paralisante passa a ser o motor da invenção responsável, e é através dela que ele pode crescer emocionalmente. A psicanálise não tem a pretensão de resolver os conflitos humanos num "lava rápido"; é incompetente para deixar as pessoas tranquilas. Ela não promete uma felicidade total. Não considera, inclusive, que haja desenvolvimento pessoal sem sofrimento psíquico! A Psicanálise não é um tratamento milagroso, mas muitas vezes sofrido, não é para covardes! (Félix em 10/11/2017). Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário