30 de novembro de 2017

Sobre as Epidemias da Angustia e da ansiedade

            Félix Elvas Pequeno       

                        Atualmente  estamos passando por uma Epidemia da ANGÚSTIA, da ANSIEDADE,  e cada vez mais são receitados remédios como:  calmantes, ansiolíticos, tranquilizantes, que somente aliviam os sintomas, mas não curam! É a nova onda da comercialização dos remédios citados acima, dentre tantos outros, porque a ANGÚSTIA  tem sido vista como doença, é a doença da moda. Penso que a ANGÚSTIA melhor seria vista com a única fonte de criação, a única fonte de invenção diante das inquietações do acaso, a única fonte de nós inventarmos a vida.
                        É uma época de risco, em que nos cabe a responsabilidade frente ao novo,  ao encontro com o desconhecido. A ANGÚSTIA, ao invés de sofrimento, é boa, pois de paralisante passa a motor da invenção responsável. Há uma angústia própria à decisão. Não há decisão que não seja arriscada e que não induza à perda. O mal chamado ANGÚSTIA ou ANSIEDADE nada mais é do que a conseqüência do medo de decidir, que provoca o empanturramento das escolhas.  Quando escolhermos  temos o compromisso, a responsabilidade da escolha, responsabilidade-não como se fosse  uma obrigação à cumprir, mas algo que se faz por desejo.
                   Portanto, se nós desligarmos o botãozinho da ANGÚSTIA, nós vamos realmente chegar a uma sociedade onde seremos todos iguais! O ideal humano  é de confronto com esse descompasso tão peculiar a nós, onde cada um poderá ir construindo, no seu time, sua singularidade e fazer seu percurso através das ANGÚSTIAS do nosso dia a dia nessa existência!  Penso, que fazer análise, o tratamento pela palavra, é um processo de transformação da  ANGÚSTIA vista como DOENÇA, para uma ANGÚSTIA como um trampolim para uma vida menos sofrida!! Abraços!

"O imenso sentimento de angústia nasce com a possibilidade e com o livre-arbítrio de fazer algo, surge qundo a vida sempre nos coloca diante de escolhas" (Kierkegaard, 1813-1855- Fílósofo Existencialista)

27 de novembro de 2017

Diferença entre Transtorno Bipolar e Transtorno Borderline( estado-limite ou fronteiriço entre neurose e psicose )

                     

         Félix Elvas Pequeno


                        O diagnóstico de transtorno bipolar se confunde frequentemente com o de borderline. Muitos psiquiatras e psicólogos se "atrapalham" com o diagnóstico de transtorno bipolar porque, agindo assim, a compreensão da situação clínica se simplifica! Há uma dificuldade com o diagnóstico de personalidade borderline, pois é mais exigentes do ponto de vista do tratamento e de evolução complexa e imprevisível. O risco, observado comumente na prática, é o paciente andar de médico em médico, com várias abordagens ineficazes até finalmente encontrar o diagnóstico de borderline. Penso que preferível encarar-se um diagnóstico sério e complicado, do que passar anos a fio sem localizar- se no que de fato ocorre. O transtorno bipolar tem diferenças importantes em relação ao borderline. 
                          O borderline tem perturbação da identidade sempre, não apenas em algumas fases; sua depressão é permeada pelo tédio e pelo vazio durante a maior parte do tempo, não apenas em episódios circunscritos. O comportamento auto-lesivo, as relações instáveis, os esforços para evitar abandono não são características do bipolar fora de fase. O início do transtorno pode ocorrer na adolescência ou na idade adulta. A maneira de agir, do borderline traz um sofrimento enorme tanto para si próprios, como para os que com eles convivem. No mínimo, cinco dos seguintes sintomas são comuns neste diagnóstico, em contextos sociais diferentes: oscilações de humor recorrentes, relações instáveis, impulsividade, gastos excessivos, mentiras, promiscuidade, sexo inseguro, ciúmes patológicos, direção perigosa, abuso de álcool e/ou de substâncias químicas(maconha, cocaína, remédios psicotrópicos, dentre outras), compulsão alimentar, comportamento autolesivo, ameaça ou tentativas de suicídio, ira inapropriada e intensa dificuldade de controlá-la, instabilidade afetiva, um padrão de relações interpessoais instáveis, intensas e de convívio difícil, esforços frenéticos para evitar um abandono real ou imaginário.
                              O tratamento do borderline, é predominantemente psicanalítico e com medicações psiquiátricas, principalmente os estabilizadores de humor. Abraços!

                                Fontes de pesquisas que eu, Félix, fiz para escrever o texto acima: Livro "Borderline"- Mauro Hegnberg-Psiquiatra pela USP, Psicanalista pelo Sedes Sapiente, Doutor em Psicologia Clínica pela USP. Livro "Corações Despedaçados"- Ana Maria Beatris. American Psychiatric Association. “Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders”. Washington, DC:

                           Entre os casos mais conhecidos de "famosos' diagnósticados como Borderlines estão: Madona, Amy Winehouse, Lady Di, Britney Spears, Angelina Jolie, Hugh Laurie (o famoso Dr. House), Jim Carrey , Woody Allen, Brandon Marshall, Kurt Cobain, Winona Rider e Christina Ricci (a garotinha da família Adams), Clarice Lispector, Elton Jones, Marylin Monroe, dentre outros.

26 de novembro de 2017

Sobre a Contradição

         Félix Elvas Pequeno

             Freud disse algo assim: "Não existe uma outra razão no sensível, na intuição, na contradição". Quando um paciente dele relatou um fragmento de sonho, disse: "Dr. Freud eu sonhei que o dia estava chovendo com muito sol". E Freud respondeu: " Não, não se corrija, pois o inconsciente funciona pelo princípio da contradição". Pois é, existe sempre a contradição que pode coexistir com a lógica, com a razão. Sim, existe a contradição e isso não é vulgar, não é errado! Portanto, a lógica não está em posição de entender o homem. 
            O homem é contraditório por natureza. Ele não é uma máquina. O pensamento racional, lógico e matemático só podem compreender os objetos que estão livres de contradição. Mas, como o homem não é um objeto, a contradição é inerente a sua existência, portanto é ridículo compreender o homem como se ele fosse uma equação geométrica, uma fórmula matemática. "O homem é uma estranha mistura de ser e não ser. O lugar dele é entre esses dois polos oposto". Sua lei primeira e suprema é a lei da contradição. A contradição é o próprio elemento da existência humana. O homem não é um ser simples e homogêneo! Há determinados comentários sobre como cada um deve ser, se comportar e agir – como se existisse um modelo universal e correto a ser seguido. Doce ilusão!! Pense Nisso!.
Abraços!




21 de novembro de 2017

Como Lidar com as Chantagens Emocionais dos Vitimizados.

       


                  Félix Elvas Pequeno


                 O vitimizado faz um jogo de chantagens emocionais afim de ganhar, "levar vantagem" sempre! Simplesmente não entre no seu jogo! Se nos aprisionarmos às chantagens e aos lamentos dos que vestem a máscara de vítima, estaremos estimulando essa conduta e não estaremos ajudando-os, mas sim prejudicando-os. Jamais permita! Porque muitas vezes, consciente ou inconscientemente, permitimos que os outros se vitimizem. Será que você não está permitindo que o vitimizado te faça de TONTO? Porque ele se coloca como o ESPERTO, para que você realize o desejo dele e não o seu. Perceba que só tem ESPERTO quando tem o outro que é o TONTO, portanto não existe o ESPERTO sem O TONTO. Uma postura corajosa é dizer NÃO ao chantagista, tampar os "ouvidos da mente" e apertar o botão do VÁ SE FERRAR, sem sentir-se culpado. Não se esqueça que você só pode se machucar emocionalmente se você olhar o vitimizado como "coitadinho".
                    Geralmente, os chantagistas se disfarçam com "roupas" de vítimas, como um "jeitinho" para manipular o chantagiado. Há até vitimizados que "choram", com "lágrimas de crocodilo", que é uma expressão para significar que o choro de alguém é fingido, falso ou hipócrita. Existem diversas explicações de cunho biológico para a origem da expressão "lagrimas de crocodilo" , uma delas diz que às margens do rio Nilo, na antiguidade, os crocodilos choravam e faziam ruidosas manifestações de desespero para atrair e despertar a piedade das pessoas que por ali passavam. Os que iam ver o que se passava eram devorados. A outra diz que quando o crocodilo está digerindo um animal, a passagem deste pode pressionar com força o céu da boca do réptil, o que comprime suas glândulas lacrimais. Assim, enquanto ele devora a vítima, caem lágrimas de seus olhos.
                    Em casos graves de vitimizações e uma "compulsão" a repeti-las", os vitimizados podem beneficiar-se com a psicoterapia, para trabalharem dentro de suas mentes os seus sofrimentos psíquicos! Os vitimizados projetam seus erros, suas invejas, seus ódios, dentre outros, nos outros! (Félix, 04 11/2017). Abraços!

11 de novembro de 2017

Como o psicanalista, Félix, olha os Transtornos Mentais

                 
                Félix Elvas  Pequeno

              O Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais 5.ª edição ou DSM-5 é um manual diagnóstico e estatístico feito pela Associação Americana de Psiquiatria para definir como é feito o diagnóstico de transtornos mentais. Usado por psicólogos e médicos. Esse manual tem sido uma das bases de diagnósticos de saúde mental mais usados no mundo. Eu,como psicanalista não trato da doença mental, mas sim da pessoa que está sofrida mentalmente! Porque, para mim, TODOS os Transtornos Mentais são sintomas de sofrimentos psíquicos, inconscientes, entre eles a busca frenética pelo excesso e pela completude ( não aceitação da castração)! S. Freud, dizia: "Nós não somos senhor da nossa casa"( inconsciente ), com outras palavras, todos os nossos comportamentos, atitudes, jeitos, sonhos, sintomas, etc, são conduzidos pelo nosso inconsciente. 
            “A ciência não pode calcular quantos cavalos de força existem nos encantos de um sabiá” (Manoel de Barros). Que tal, usar essa frase para dizer que "a ciência, com sua mania calculista, não pode calcular quantos cavalos de força existem na pulsão (impulso)". "Me perdoem os sabichões, mas a psicanálise não é pra qualquer um. Ela é somente pra quem vê poesia nos sintomas, para quem vê arte na dor". Os psicanalistas não prescrevem receitas de remédios que dão o “alívio já”. Os pacientes que estão em análise, são impacientes, intranquilos e inquietos. Imagine que você tem uma casa-mental que começa a dar problemas e precisa de reformas. As terapias focais, cognitivas, comportamentais, dentre um mar de tantas outras terapias, farão a reforma da casa-mental e terão sua "eficácia" garantida e comprovada! Mas, a psicanálise, é para quem acha que toda casa-mental deve ser destruída e re-erguida desde a base! Sim, acho melhor tentar, aos poucos, desconstruir tudo e re-construir de novo. 
                Tudo o que quero é dar a palavra à pessoa, ao inconsciente, a poesia de cada um, lembram-se: "a Psicanálise é o tratamento pela palavra" (S. Freud). Penso, que os Psicanalistas, éticos, não devem competir com os Médicos-Psiquiatras com seus poderosos neurolépticos, antidepressivos, ansiolíticos, dentre tantos outros, que vão aparecendo a cada instante, e nem com os psicólogos com a sua poderosas abordagens "terapêuticas" sedutoras, que buscam o alívio rápido com eliminação das angústias, dos sintomas. 
           A Psicanálise não serve mesmo para todas essas coisas! Ao contrário, humildemente, considera que os sintomas e angústias têm um sentido e função, e o humano não deve fugir da angústia, pois ao invés de paralisante passa a ser o motor da invenção responsável, e é através dela que ele pode crescer emocionalmente. A psicanálise não tem a pretensão de resolver os conflitos humanos num "lava rápido"; é incompetente para deixar as pessoas tranquilas. Ela não promete uma felicidade total. Não considera, inclusive, que haja desenvolvimento pessoal sem sofrimento psíquico! A Psicanálise não é um tratamento milagroso, mas muitas vezes sofrido, não é para covardes! (Félix em 10/11/2017). Abraços!