12 de outubro de 2017

Teu relacionamento é capenga e te faz sofrer?

          
               
              Félix Elvas Pequeno
            
              Chega a ser um soco no estômago o que vou escrever em seguida, mas é o que penso. É muito comum vermos amigos, conhecidos ou familiares presos em relacionamentos doentios nos quais se sentem infelizes, usados, desvalorizados e, mesmo assim, permanecem ali, junto à dor, porque, inconscientemente, tem prazer em sofrer! É como se estivessem viciados em se punirem, porque manter um relacionamento a dois nesses termos equivale a sofrer castigos diários. 
               Nenhuma relação é ótima o tempo todo, livre de algumas desavenças, desencontros, pois é assim que os parceiros se reajustam, fortalecendo o que traz ganhos e se libertando do que emperra. Contudo, o extremo oposto também não pode ser tido como saudável, uma vez que ninguém inteligente é capaz de viver com mínima saúde mental, caso passe os dias brigando com a(o) aparceira(o) ou clamando para que sua presença seja notada. Ninguém merece conviver com quem só critica, só reclama, só cobra, só acusa, só chantageia e te enche de culpa; só pensa no seu umbigo sem nada oferecer em troca. 
            Todos merecemos amor de verdade, e não amor fingido! Temos que saber exatamente o tanto que somos e temos e podemos oferecer, para que não nos conformemos com retornos ínfimos, pobres, menosprezíveis. Nesse tipo de relacionamento capenga, não mendigue, sai fora e faz o teu percurso em direção ao parceiro(a) que venha a te amar incondicionalmente, você merece! Somente assim seremos capazes de nos relacionar sem pendências, sem que procuremos no outro o que nos falta e projetando nele ora papai, ora mamãe, ora o filho(a), dentre outros. Os relacionamentos capengas, mais cedo ou mais tarde, irão desmoronar!! Pense nisso!

Zygmunt Bauman - "Homens e mulheres, estão presos numa trincheira sem saber como sair dela, e, o que é ainda mais dramático, sem reconhecer com clareza se querem sair ou permanecer nela".

Nenhum comentário:

Postar um comentário