28 de abril de 2017

A Coragem de Ser Imperfeito



      Num mundo em que as pessoas criticam e julgam sem nem mesmo conhecer a realidade do outro, colocar-se em vulnerabilidade pode ser aterrorizante. A pesquisadora Brené Brown nos fala sobre como é libertador ter coragem de ser imperfeito: "Ser perfeito e à prova de bala são conceitos bastante sedutores, mas que não existem na realidade humana. Devemos respirar fundo e entrar na arena, qualquer que seja ela: um novo relacionamento, um encontro importante, uma conversa difícil em família ou uma contribuição criativa. Em vez de nos sentarmos à beira do caminho e vivermos de julgamentos e críticas, nós devemos ousar aparecer e deixar que nos vejam. Isso é vulnerabilidade. Isso é coragem de ser imperfeito. Isso é viver com ousadia." Abraçar a vida a partir de um sentimento de amor próprio, significa cultivar coragem, compaixão e vínculos suficientes para acordar de manhã e se sentir merecedor de amor e aceitação. As pessoas imperfeitas atribuíam todas as suas conquistas - desde o sucesso profissional até o casamento e os momentos felizes como pais - à capacidade de se tornarem vulneráveis, de compartilharem medos, sofrimentos e insucessos, de se lançarem a novos projetos mesmo com possíveis críticas, em suma, de enfrentarem a imperfeição. 
      É fundamental refletir sobre como estamos lidando com a vulnerabilidade em nosso dia a dia, em nossas relações conjugais, familiares, profissionais, em sociedade. Estar na arena da vida, sob os olhos sedentos dos que precisam de escudos contra a vulnerabilidade - como o perfeccionismo e o entorpecimento de viver sempre atarefado -, é uma atitude corajosa e engajada aos valores mais profundos da pessoa. Saber viver de modo coerente à própria imperfeição é estar conectado à verdadeira natureza humana. É ter consciência de limites e alcances, é não se colocar como escravo da aparência e do julgamento alheio. É viver com ousadia. Para isso, é preciso deixar as intenções claras, impor limites e cultivar vínculos. É importante fazer escolhas muito determinadas, como jamais dar ouvidos a opiniões que não venham de pessoas que passam pelos mesmos dramas que você. Ou seja, nunca se importar com quem apenas critica. "O julgamento pode exacerbar o isolamento". Não compartilhe histórias "íntimas", nem com feridas ainda não cicatrizadas, a quem não esteja dentro do pequenino círculo de amizades com as quais pode se mostrar vulnerável.
   Você precisa ter coragem de ser imperfeito em aspectos como o trabalho, a escola, a criação dos filhos, a vida conjugal. A autora aprofunda a importância de vivermos com o propósito de sermos verdadeiros conosco e com quem convivemos. Os ganhos dessa vida sincera e honesta, sem máscaras e sem o peso de lidar com julgamentos - sejam nossos ou alheios -, acolhendo nossa imperfeição com amorosidade e respeito, são tão grandes que nos tornamos pessoas com as quais todos querem estar.       Afinal, nossa humanidade está escancarada. Enquanto a maioria precisa gastar uma energia gigantesca para esconder suas vergonhas e defeitos, quem vive com ousadia pode simplesmente relaxar e ser quem é.

      Há uma frase minha, que gosto de dizer para alguns amigos: A perfeição é uma maldição que maltrata o coração.

Abraços!

*Síntese feita por Félix Elvas Pequeno, baseado no artigo de Brené Brown, autora do livro A Coragem de Ser Imperfeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário