19 de abril de 2016

Transtorno de ansiedade generalizada

Félix Elvas Pequeno

   Todos nós já experimentamos algum grau de ansiedade, quando esta é necessária para a nossa sobrevivência. Quem nunca ficou ansioso antes de uma prova importante ou de uma entrevista, ou preocupou-se com o resultado de um exame de saude? Sentir-se ansioso pode motivar uma pessoa a preparar-se melhor para uma reunião de negócios ou tomar medidas especiais ao viajar para um lugar desconhecido. O fato é que precisamos de uma dose de ansiedade em nossa vida. Porém, nem toda vivência de ansiedade é boa para a pessoa. Para muitos, a ansiedade torna-se opressora, caracterizada por sentimentos excessivos e persitentes de apreensão, preocupações catastróficas, tensão, nervosismo sobre situações do dia a dia. A ansiedade torna-se doentia e generalizada quando caracteriza-se por pelo menos 6 meses de ansiedade e preocupações excessivas, persistentes e irrealistas frente a situações cotidianas normais.
   O transtorno de Ansiedade Generalizada é bem caracterizado pelo fato de as pessoas se mostrarem patologicamente ansiosas acerca de tudo. Nesses casos, é difícil controlar as preocupações que são insistentes ou excessivas e flutuantes.
   Sintomas da Ansiedade Generalizada: Sentimentos contínuos de nervosismos; sudoreses; calor forte pelo corpo; sensação de cabeça leve; palpitações; fôlego curto; boca seca; tonturas; respostas de sobresalto  exagerada; desconforto epigástrico; medos de que a própria pessoa ou um parente vai brevemente adoecer ou sofrer um acidente são  frequentemente verbalizados, juntamente com uma variedade de outras preocupações e pressentimentos; fadiga; dificuldades de concentração; irritabilidade; inquietação; pertubação do sono.
   As pessoas com transtorno de ansiedade generalizada, embora nem sempre sejam capazes de identificar suas preocupações como excessivas, elas relatam sofrimento subjetivo devido à constante preocupação, tem dificuldade em controlá-la ou experimentar prejuízo no funcionamento social, profissional, ocupacional, amoroso, familiar ou em outras áreas  importantes de sua vida.
    A intensidade, duração, freqüência da ansiedade ou preocupação são claramente desproporcionais a real probabilidade ou impacto do evento temido. A pessoa considera difícil evitar que as preocupações interfiram na atenção às tarefas que precisam ser realizadas e tem dificuldade em parar de se preocupar.
   As crianças e adolescentes com Ansiedade Generalizada mostram preocupações excessivas com a sua competência, com o desempenho escolar, social e atlético. Apresentam um excesso de queixas somáticas. Já os adultos,  frequentemente se preocupam com circunstâncias cotidianas e rotineiras, tais como: possíveis responsabilidades no emprego, finanças, saúde dos membros da família, infortúnios acometento filhos ou mesmo questões menores.
   Durante o curso do transtorno de Ansiedade Generalizada, o foco da preocupação pode mudar de uma preocupação para outra. Tal transtorno pode tornar-se crônico, que, se não tratado, pode durar a vida  inteira. O principal tratamento para o Transtorno de Ansiedade generalizada é a psicoterapia individual, na qual o paciente irá sentir-se instrumentalizado para lidar com sua Ansiedade Generalizada e vai tomar consciência de seus conflitos internos que desencadeiam suas crises de ansiedades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário