31 de outubro de 2015

Desalento

Félix F. Elvas Pequeno (Esta poesia escrevi para uma amiga que tinha terminado com um relacionamento amoroso)

Te amei mais do que devia amar.
Investi todo meu amor em ti.
Em ti achei que tinha encontrado
A razão de não sofrer mais,
De amar, amar, amar.

Poderia te amar pouco,
Mas não consegui segurar meus desejos.
Me entreguei,
Me despi,
Me ralei,
Lutei,
Me expus,
Me humilhei,
Implorei.
Tudo fiz para tê-lo.
Te tive por pouco tempo,
Você me deu um olá
E logo um adeus.
Te perdi.
Um pedaço de mim se foi junto.
Estou triste.
Abatida.
No avesso.
Esvaecida.

Por tudo isso,
Largo o meu corpo neste momento, nesta cama.
Sinto-me menos, encolhida,
Adunca,
Diminuída e esmorecida.
Uma flor bela que murchou.

Minha metade arrancada se foi.
Estou sangrando, como uma hemorragia.
Há muita dor no meu ventre e no meu peito.
Estou rendida, abatida como um pássaro.

Sinto-me trincada,
Espatifada,
Envergonhada,
Cheia de culpa,
Pois me traí.
Pequei contra meus princípios.
Escuto apenas meu gemido sussurrando.
                         
Quero ficar aqui quieta,
Murmurando.
Entrelaçada comigo mesma,
Velando meus sonhos, meus desejos
Que se foram contigo.

Fui tola.
Me entreguei do fundo da alma,
Deixei-me ser  usada,
Violentada.
Me auto-desprezei
Que estupidez!

Sinto-me cansada,
Entorpecida.
Quero agora repousar, dormir,
Fugir num sono profundo,
Até me “re-fazer”
Pra não sei o quê.


21 de outubro de 2015

Hipocondria. O que é?

O que é hipocondria?

A hipocondria é um estado psíquico crônico em que a pessoa crê, sem fundamentos, ter uma doença grave, sente um irrazoável medo da morte, é acometida por uma verdadeira obsessão com sintomas ou defeitos físicos irrelevantes, mantém uma auto-observação constante do corpo e mostra descrença nos diagnósticos médicos. Trata-se de uma patologia séria que prejudica muito a vida dos pacientes.

Como agem os hipocondríacos?

Inconformados com os médicos que afirmam que eles estão em perfeita saúde, muitas dessas pessoas procuram por outro profissional na busca por encontrar um diagnóstico para o mal que supõem acometê-los. Na melhor das hipóteses pensarão: “quem sabe se a doença não começou depois do último exame?”. Algumas vezes concentram suas preocupações sobre um determinado órgão ou sistema corporal (o coração ou o sistema digestivo, por exemplo) e outras vezes variam alternativamente suas preocupações, as quais podem atingir vários órgãos ou sistemas.

Muitos hipocondríacos chegam ao médico trazendo uma pilha de exames que colecionam a longo tempo e demandando outros novos. Diante da afirmativa de que nada têm, sentem-se incompreendidos pelo médico e pelos familiares “que não acreditam” no que eles dizem e ficam ofendidos com a sugestão de que devem consultar um psiquiatra. Na verdade, essa afirmativa de certa maneira é incorreta porque sentir algo onde tudo está organicamente perfeito não é normal. Os hipocondríacos “têm” alguma coisa; só que essa coisa não é física, mas psíquica. Popularmente, costuma-se denominar a hipocondria de “mania de doença”.

Como são os hipocondríacos?

O hipocondríaco é extremamente centrado em si mesmo (narcisista, em termos psicanalíticos) a ponto de não se atentar para a realidade e não se importar com ela. Isso acontece em diferentes graus para cada paciente. Ele se preocupa exageradamente com a possível presença de doença e geralmente pensa ser portador de sinais esintomas de várias delas, muitas vezes entrando em pânico por isso.

Às vezes, os hipocondríacos apenas sobrevalorizam num sentido negativo e pessimista certos sinais próprios da fisiologia normal como ruídos orgânicos comuns, dormências posturais, tremores constitucionais, etc., ou são sugestionados pelas divulgações de enfermidades pela mídia. Em muitos casos se sentem melhor ao tomar remédios, achando assim estar livres das supostas doenças. Outros hipocondríacos “descobrem” métodos alternativos para “curar” as supostas doenças, os quais podem funcionar, já que elas são imaginárias.

A hipocondria grave tem muitos aspectos formais das psicoses.

Como é feito o diagnóstico da hipocondria?

O diagnóstico da hipocondria é eminentemente clínico. Deve ser feito pela incongruência dos sintomas e pela história de persistentes queixas sem fundamento. As queixas do hipocondríaco obedecem mais à anatomia e à fisiologia populares que aos conhecimentos científicos.

Como é o tratamento?

Não se conhece tratamento específico para a hipocondria, mas a psicoterapia analítica é essencial para que o paciente se sinta melhor.


Fonte:

ABC.MED.BR, 2011. Hipocondria. O que é?. Disponível em: <http://www.abc.med.br/p/psicologia..47.psiquiatria/232395/hipocondria+o+que+e.htm>. Acesso em: 21 out. 2015.

15 de outubro de 2015

Pulsão (Impulso)

Félix F. Elvas Pequeno

Carga energética impalpável, invisível
O Teu alvo é suprimir todo estado de tensão
És grandiosa em tua determinação
És um processo dinâmico que consiste numa pressão

Qual é a tua cor? Vermelha?
Qual é a tua forma? Uma seta?
De onde vens? Para onde vais?
Não sei te definir,
Pois és indefinível. És um constructo.
Imagino que venhas do psico e do somático.

Pensar em ti, pulsão,
É falar do que é próprio ao homem.
És o rompimento com o mundo animal,
Aí se define o humano.

Não consigo te pegar, escapas à minha razão.
Sei que estás no meu corpo a navegar
Sei que estás na minha idéia a me infernizar.

Estás nos meus desejos, nos meus pecados, na minha tesão
És volúvel como a volúpia
Sobes nas cabeças dos amantes
Deliberas e executas sem compaixão

Não és fixa, são tantas as tuas fontes:
Pulsão oral, pulsão de vida,
pulsão de morte, pulsão sexual.

Às vezes te recalco, te maltrato,
Mas, num ato de coragem e persistência,
Voltas maravilhosamente
E danças no meu corpo como uma bailarina
Executa vôos como uma ave colorida

És um corte trágico
entre a natureza e o homem.
É a tua inscrição no psíquico
que vai transformar o corpo biológico
em corpo erógeno.

Narciso te aprisiona;
Édipo, assustado, te intimida
Explodes em Eros
e adormeces em Tânatos.