15 de setembro de 2015

ENTRANHADOS

Félix F. Elvas Pequeno

Sou feliz porque és feliz.
Sou infeliz porque és infeliz.
Sou culpado porque és infeliz.
És culpada porque sou infeliz.

Se ficares feliz, não sinto-me culpado.
Se eu ficar feliz, não se sentirás culpada.

Quando brigo com você e não gostas,
Sinto-me atormentado e vou te adular.

Quando brigas comigo e não gosto,
Sente-se desamparada e vens me bajular.

E assim vamos convivendo,
Sem identidade própria,
Sem podermos nos separar
Eu ser eu e você ser você
Estamos grudados,
Misturados, entranhados,
Num total estado de indiferenciação,
Somos um só.
Que relação torturante,
Aprisionante e entediante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário