26 de agosto de 2015

O Invejoso

Félix F. Elvas Pequeno

     A inveja é a manifestação inconsciente de intensos impulsos destrutivos e a maneira como ela é resolvida ou não vai influenciar no desenvolvimento normal ou patológico da pessoa, bem como na formação de sua personalidade.
     A inveja envolve uma relação de duas pessoas, na qual uma inveja a outra por alguma qualidade ou posse. É um sentimento raivoso do que a outra pessoa possui e desfruta de algo desejável.
     O invejoso está presente em contextos sociais, profissionais e familiares, às vezes, aparece explicitamente e, muitas vezes, sorrateiramente.
        Há uma estória que retrata o sentido da inveja:
     “Uma fada aparece diante de um invejoso dizendo que ela poderá, magicamente, dar-lhe tudo o que seus desejos imaginarem – bens materiais, qualidades pessoais e toda sorte de felicidade. Mas há uma única condição: que seu vizinho, pessoa a quem muito invejara, obtivesse em dobro seus desejos. Sabe o que o invejoso desejou? Desejou que a fada lhe arrancasse um olho”.
     Aqui vão, em seguida, uns versos sobre o invejoso.
 

O  INVEJOSO

Seus olhos arregalados e agitados
revelam um coração perturbado e malvado.
Seu amor está abafado
e seu ódio exaltado.
Por não poder desfrutar o que o outro tem
joga um olhar raivoso e destrutivo
tentando tomar ou estragar o que o outro, de direito, possui e desfruta.
Com seu mau-olhado, tenta agourar o bom e o belo, o amor...
E, às vezes, consegue secar, esvaziar e devorar com seu olhar enviesado.
Seus olhos estão sempre doentes
embebidos em veneno
expelindo raios mortíferos.
A sua companheira inseparável é a ingratidão.
O seu fim é viver e morrer
num mundo solitário, cinzento e frio.

Um comentário: