7 de julho de 2021

Ser Psicólogo

                  Félix Elvas Pequeno

"Ser psicólogo é uma imensa responsabilidade.

Não apenas isso, é também uma notável dádiva.

Desenvolvemos o dom de usar a palavra, o olhar,

as nossas expressões, e até mesmo o silêncio.

O dom de tirar lá de dentro o melhor que temos

para cuidar, fortalecer, compreender, aliviar.


Ser psicólogo é um ofício tremendamente sério.

Mas não apenas isso, é também um grande privilégio.

Pois não há maior que o de tocar no que há de mais

precioso e sagrado em um ser humano: seu segredo,

seu medo, suas alegrias, prazeres e inquietações.


Somos psicólogos e trememos diante da constatação

de que temos instrumentos capazes de

favorecer o bem ou o mal, a construção ou a destruição.

Mas ao lado disso desfrutamos de uma inefável bênção

que é poder dar a alguém o toque, a chave que pode abrir portas

para a realização de seus mais caros e íntimos sonhos.


Quero, como psicólogo aprender a ouvir sem julgar,

ver sem me escandalizar, e sempre acreditar no bem.

Mesmo na contra-esperança, esperar.

E quando falar, ter consciência do peso da minha palavra,

do conselho, da minha sinalização.

Que as lágrimas que diante de mim rolarem,

pensamentos, declarações e esperanças testemunhadas,

sejam segredos que me acompanhem até o fim.


E que eu possa ao final ser agradecido pelo privilégio de

ter vivido para ajudar as pessoas a serem mais felizes.

O privilégio de tantas vezes ter sido único na vida de alguém que

não tinha com quem contar para dividir sua solidão,

sua angústia, seus desejos.

Alguém que sonhava ser mais feliz, e pôde comigo descobrir

que isso só começa quando a gente consegue

realmente se conhecer e se aceitar."


5 de julho de 2021

sobre a verdade

  W. Bion, psicanalista inglês já falecido, afirmou que a Verdade é um alimento para a mente. A ideia fundamental deste autor é que a Verdade para se tornar alimento da mente, precisa antes de um cozimento, ou seja, a Verdade externa é transformada, cozida pelo aparelho mental e com isto tornada pessoal. Um corpo que não recebe alimentos ou os recebe intoxicados, contaminados sofre, desnutre, definha, adoece e pode morrer.

Este é o modelo de funcionamento mental proposto por Bion através de sua teoria da mente. A busca pela Verdade está implícita neste modelo teórico. Bion afirma que é desta forma que surgem as controvérsias. E é da controvérsia que se forma o broto de onde o conhecimento inicia a produção de seus frutos. Só que a controvérsia para que dê frutos, necessita de confrontações legítimas e genuínas, pois se isto não acontece corre-se o risco de que os argumentos controversos se esgotem e terminem em um bate-boca estéril, inútil entre pessoas com diferentes pontos de vista.

É sempre difícil falar em política, eleições e políticos. Porém não temos como nos isentar desse debate. É difícil resistir à tentação de transportar o conhecimento deste modelo teórico de Bion, para o que temos assistido nos acontecimentos nacionais: corrupções, mentiras, ataques, negações, acusações, xingamentos e desrespeitos... O que vocês pensam?

( Postado por Félix Elvas Pequeno- Psicólogo Psicanalista)

2 de julho de 2021

Sobre o pensar

             Félix Elvas Pequeno

        Uma das coisas mais importantes é você ser autor, personagem e principalmente diretor do seu  próprio passeio aqui nessa existência, inventando ou reiventando seu próprio dia-a-dia. É ter uma vida que vale apena ser contada! Pense nisso!! Caso não consiga por si próprio, a Psicoterapia poderá ser um bom investimento, pelo resto de sua vida, para ajudá-lo a se autoconhecer,  construir sua singularidade e fazer seu percurso, no aqui e agora. Com espontaneidade e criatividade voçê pode ir se ressignificando pela vida a fora, aprendendo pela experiência a pensar. Pensar é transgredir, e pensar dói!! 

( Félix Elvas Pequeno é Psicólogo e Psicoterapeuta). Abraços 


28 de junho de 2021

Sobre o pensar

        Félix Elvas Pequeno

      Uma das coisas mais importantes é você ser autor, personagem e principalmente diretor do seu  próprio passeio aqui nessa existência, inventando ou reiventando seu próprio dia-a-dia. É ter uma vida que vale apena ser contada! Pense nisso!! Caso não consiga por si próprio, a Psicoterapia poderá ser um bom investimento, pelo resto de sua vida, para ajudá-lo a se autoconhecer,  construir sua singularidade e fazer seu percurso, no aqui e agora. Com espontaneidade e criatividade ir se resignificando pela vida a fora, aprendendo pela experiência a pensar.Pensar é transgredir, e pensar dói!! 

( Félix Elvas Pequeno é Psicólogo e Psicoterapeuta). Abraços 


23 de junho de 2021

Da Culpa em excesso

             Félix Elvas Pequeno

    Quem nunca se sentiu culpado por alguma coisa que fez, ou deixou de fazer? Pode ser por coisas consideradas “simples”, como devorar um pote de sorvete em plena dieta, ou deixar de estudar para curtir com amigos, aplicar pequenas mentiras para se sair de alguma situação, ou de forma mais profunda, como sentimento de culpa em um processo de luto por ter feito, ou não, algo. 

    A psicanálise explica a culpa como um sentimento emocional que está intimamente relacionado ao remorso e ocorre quando uma pessoa acredita, ou percebe que comprometeu seus próprios padrões de conduta, ou violou os padrões morais universais, e tem responsabilidade significativa por essa violação. É um sentimento que todo mundo já experimentou em algum momento na vida, de diferentes formas. "Porém, quando a culpa é excessiva pode desencadear pensamentos catastróficos e paralisar a vida da pessoa.”  (W.Bion). 

    De forma exagerada o sentimento de culpa pode levar a sérios prejuízos físicos, emocionais e de relacionamentos. Ninguém nasce com sentimento de culpa. Ele é construído socialmente, e surge da relação com outras pessoas e seres vivos, e está ligado ao desejo de ser perfeito.  Nós fomos ensinados a sentir culpa vergonha quando cometemos um erro. Esse ensinamento começa desde que somos crianças e nos acompanha por toda a vida... A culpa é um sentimento importante, porque nos permite fazer reparações, crescer e avançar nessa existência...

(Postado por Félix Elvas Pequeno-Psicólogo e Psicanalista). Abraços através dos bons ventos...


4 de junho de 2021

Todo mundo precisa fazer Psicoterapia?

               Félix Elvas Pequeno

        "Todo mundo precisa de Psicoterapia? Será? Como sei se eu devo ir ao psicólogo?  Você provavelmente já ouviu alguém dizer que faz Psicoterapia para lidar com quem precisa de terapia e não faz. Ou que o planeta seria um lugar mais feliz se "todo mundo" fosse para o divã. Mas, afinal, será que todas as pessoas precisam mesmo fazer terapia? E como é que sabemos quando (e se) necessitamos procurar um psicólogo?  Nem todo mundo precisa fazer terapia! Quem precisa então? Não existe um perfil de quem deve ir ou de quem vai se adaptar melhor ao processo de terapia.  No entanto, o mais comum são pessoas em intenso sofrimento emocional, que buscam o psicólogo para entender melhor o que está acontecendo e como lidar com isso.  

          Mas é importante saber que a Psicoterapia não precisa ser um processo apenas para quem está com um problema de saúde mental e pode beneficiar qualquer pessoa. Consultas com um psicólogo podem ser úteis para aprender novas habilidades para se comunicar melhor, superar a timidez, aprender a gerenciar o estresse ou a lidar melhor com situações pontuais, como o luto ou um divórcio. É muito comum a ideia de que terapia é só para gente louca, mas isso não é verdade!!. A Psicoterapia nos ajuda a entender melhor nossas emoções e a melhorar nosso relacionamento com  os outros. 

           A maioria das pessoas que busca Psicoterapia, de fato, faz isso por estar sofrendo de dores emocionais. Mas ainda existe uma resistência muito grande da sociedade em aceitar que esse sofrimento pode ser trabalhado e amenizado na Psicoterapia. Por isso, é comum ouvir que ir para o psicólogo é bobagem e que é possível resolver as questões sozinho. Isso nem sempre é verdade. O sofrimento psíquico faz parte da vida de todos, assim como a alegria, a felicidade. Ele nos ajuda a amadurecer, mas, quando passa a ser incapacitante, prejudicando outros aspectos da vida da pessoa e tornando a realidade dela adoecida, é hora de buscar ajuda. 

           Alguns sinais podem ser importante colocar, como:  dificuldade em se relacionar com outras pessoas; Baixo rendimento no trabalho; Procrastinação; Oscilações de humor importantes; Irritação ou angústia que não passam. Quando o auxílio para tratar questão emocionais demora a vir, o corpo também pode dar sinais de que precisa de ajuda: é comum pessoas que estejam em sofrimento emocional sentirem dores de cabeça e no corpo, fadiga e dificuldade de concentração, terem episódios de gastrite e ainda apresentarem uma queda imunológica. E, mesmo que o sofrimento não seja intenso, apenas a inquietação ou a incapacidade de lidar com algumas questões da vida —como uma fase de mudanças— já podem ser suficientes para uma ida ao consultório do psicólogo. 

            E se não funcionar para mim? Uma outra questão muito comum em quem inicia a psicoterapia é dizer, após poucas sessões, que aquilo não funciona para ela. Isso pode esconder um desconforto natural frente à situação —afinal, a Psicoterapia é um espaço de escuta e validação de sentimentos, mas que também exige uma mudança de comportamento, o que nem sempre é confortável. A Psicoterapia é importante para acolher aquelas emoções, ajudar a pessoa a entender o porque de estar sentindo aquilo e legitimar esses sentimentos.  Mas, em algum momento, ela vai tentar esclarecer a responsabilidade da pessoa por aquele mal-estar, buscar uma mudança, e isso às vezes é um processo longo e difícil para o paciente.  

             E por que falar com um psicólogo e não um amigo ou familiar? Bom, para começar, as pessoas próximas a nós nem sempre têm a liberdade de dizer o que pensam ou podem estar muito envolvidas na situação, o que as impede de enxergar as coisas com clareza. Mais que isso: nós podemos nos sentir desconfortáveis em abrir determinados sentimentos para certas pessoas, com receio do que isso pode causar à relação que construímos com elas. A Psicoterapia é um espaço de escuta. Optar por fazer Psicoterapia nem sempre é um processo fácil e muitas pessoas levam tempo até aceitarem que essa ajuda é benéfica. Isso pode, inclusive, se materializar na rejeição pelo profissional. 

               É comum pessoas que trocam de psicólogo várias vezes ao se depararem com questões com as quais não gostariam de lidar, ou que abandonam o tratamento após poucas sessões por acharem que "o santo não bateu". De fato, a afinidade e a confiança no profissional são fundamentais para o sucesso da terapia. Mas é importante tentar persistir por algumas sessões e entender se uma eventual resistência está presente. A psicoterapia tem momentos de acolhimento e de desconforto. Ao passar pelo processo psicoterápico, a pessoa vai conseguir amadurecer e ressignificar a própria história, abrindo possibilidades para lidar com o que sente.” 

(Postado por Félix Elvas Pequeno- Psicólogo e Psicoterapeuta.)


14 de abril de 2021

Sobre o insight

        

         Félix Elvas Pequeno

         Para a Psicanálise, quando você tem um insighit (compreensão interna) que sofre de uma experiência de culpa insuportável provocada por seu superego severo, a maneira como você pode reverter essa experiência de culpa, é indo para frente e não ficando parado nela, se impondo as punições que o superego grita dentro de sua cabeça, como algo assim: Se puna! Se agrida! Se penitencie! Então, você consegue atravessar esse sofrimento psíquico dizendo para si mesmo: " chega de me sentir culpa(o), agora quero fazer a reparação dos danos que causei a mim mesmo ou aos outros"! 

        Com a reparação, você pode fazer uma renovação dos seus pensamentos, de suas crenças, dos seus valores, entre outros... Se você não atravessar esse sofrimento psíquico, seu superego severo continuará lhe impondo punições... 

( Texto Inspirado no vídeo do Psicólogo e Psicanalista C. Dunker feito por Félix Pequeno Psicólogo e Psicanalista). Abraços através dos bons ventos...